Mulher processa Chris Brown alegando que foi estupro.

O cantor Chris Brown foi mencionado em um processo registrado por uma mulher que alega ter sofrido abusos sexuais na casa dele. Segundo a vítima, ela foi estuprada por um amigo do músico com a ajuda de outra mulher.

No caso, registrado sob o nome de “Jane Doe” (nomenclatura utilizada quando a vítima não pode ou não quer ser identificada) pela advogada Gloria Allred, consta que uma jovem foi estuprada diversas vezes na residência de Brown, na Califórnia, por Lowell Grissom, rapper que se apresenta com os nomes Young Lo e EverybodyKnowsLo.

“O processo diz que, enquanto estava na casa de Brown, a denunciante sofreu abusos sexuais horrorosos”, afirma Gloria em um comunicado. As acusações incluem “abuso sexual, violência de gênero, violação do Ralph Civil Rights Act (que proíbe violência baseada na cor, religião, idade e gênero), interferência no exercício dos direitos civis, imposição intencional de sofrimento e negligência”. A vítima também conta que foi forçada por uma outra mulher, referida como Doe X, a fazer sexo oral nela.

Consta na reclamação que “Doe X estava menstruada”, e que enquanto forçava a denunciante a fazer sexo oral, Grimsson abusava da parte inferior do corpo dela usando a boca e as mãos. Dessa forma, a acusadora foi molestada por duas pessoas ao mesmo tempo. O processo continua, relatando que, “após perceber que Doe X havia menstruado em seu rosto, a denunciante decidiu, por motivos de higiene, se lavar imediatamente. Grimsson entrou no banheiro enquanto ela estava no chuveiro, e começou a abusar dela. Doe saiu correndo do banheiro, mas foi perseguida por Grimsson, que a empurrou para a cama e a estuprou.” Ela conta também que antes de conseguir ir embora, o rapper a estuprou novamente na lavanderia da casa.

Foi registrado que o ocorrido se deu no dia 23 de fevereiro de 2017, data em que Chris Brown teria feito uma festa em um estúdio, após se apresentar em Los Angeles. De acordo com a denunciante, que foi à festa com amigas, Grimsson confiscou os celular delas, e, se negando a devolver, levou os aparelhos até a casa de Brown, de forma que elas tiveram que ir até lá buscar os aparelhos.

A advogada alega que Jane Doe está gravemente traumatizada pelo que foi forçada a fazer e acrescenta que a vítima viu Brown carregando uma arma pela casa.

O Departamento de Polícia de Los Angeles se recusou a confirmar detalhes do processo, mas a policial Norma Eisenman confirmou à Rolling Stone EUA que, no momento, “não temos nenhuma investigação aberta contra Chris Brown”. Tentativas iniciais de entrar em contato com Grimsson foram malsucedidas. 


Fonte: RollingStone